Programa de Entrega Noturna

Projeto Piloto

Workshop Pré-Piloto: convite às empresas

Em agosto de 2014 foi realizado um workshop para apresentar o projeto às empresas interessadas no piloto. Mais de 100 profissionais de duas dezenas de grandes empresas do setor compareceram, das quais 15 empresas se voluntariaram. No final, 11 empresas realizaram atividades no piloto, pois alguns dos voluntários não conseguiram se organizar a tempo de participar.

Veja aqui a apresentação do estudo que levou ao Projeto Piloto

O projeto-piloto foi uma iniciativa da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, coordenado pelo seu Departamento de Sistema Viário (DSV), e com apoio técnico da Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo (CET-SP), que tem o objetivo criar política de entregas noturnas, abrangendo os diversos tipos de distribuição de carga existentes na cidade.

O propósito do projeto-piloto foi avaliar, em condições reais, as vantagens e desvantagens de entregas noturnas dentro da área de restrição de circulação de caminhões no Município de São Paulo. Foi selecionada uma área limitada aos bairros de Perdizes, Pompéia e partes da Lapa e Pacaembu (cerca de onze quilômetros quadrados) para realizar os testes, dada sua característica de misturar zonas residenciais, comerciais e de uso misto e estar ao lado de vias expressas importantes, como a Marginal Tietê. Este piloto focou nas grandes cadeias varejistas e polos geradores de entregas, como shopping centers e home centers.

Inicialmente foi enviado um convite geral a empresas de varejo e algumas indústrias de bens de consumo para participar deste piloto, apresentado oficialmente através de um workshop realizado em 15 de setembro de 2014. Entre as várias empresas interessadas no projeto, quinze se posicionaram com o intuito de realizar entregas noturnas, das quais onze efetivamente participaram do piloto de forma voluntária, sem nenhum ônus para a SMT. Pesquisadores do Centro de Inovação em Sistemas Logísticos (CISLOG) coordenaram e executaram o estudo e a sua avaliação.

Para facilitar o planejamento e acompanhamento das rotas de entregas noturnas durante o piloto, devido à quantidade de empresas que se voluntariaram a participar, o mesmo foi dividido em três etapas (outubro de 2014, novembro-dezembro de 2014, fevereiro-março de 2015), com diferentes empresas.

Cada etapa-piloto durou quatro semanas. Aproximadamente 45 lojas receberam mercadorias no horário noturno, entre 22h e 5h. Foram feitos mais de 60 acompanhamentos de roteiros noturnos durante o piloto com equipes formadas pelo CISLOG e CET. A primeira etapa concentrou-se em lojas de rua; a segunda etapa, em lojas em shopping centers; e a terceira etapa em home centers e uma combinação das anteriores.

O projeto-piloto permitiu avaliar vantagens e desvantagens do contexto urbano referentes a fluidez no tráfego, emissão de poluentes, segurança, ruído, produtividade nas entregas e custos da operação. Identificou-se a grande variedade das cadeias logísticas reais, concluindo que a diversidade não permite ações generalizadas e diretas, pois não há panaceia.

Houve uma repercussão internacional do projeto, de maneira muito positiva, principalmente nos Estados Unidos nas cidades de Washington, DC e Nova York, NY, e houve um reconhecimento do Banco Mundial que financiou parte das análises dos dados obtidos durante o piloto, após sua execução. Novamente o CoE SUFS realizou uma palestra sobre iniciativas de logística urbana pelo mundo e o CISLOG, em nome do grupo técnico do projeto-piloto, apresentou os resultados detalhados.

Veja aqui a apresentação dos resultados do Projeto Piloto entregas Noturnas

• Resultados do Projeto Piloto e Próximos Passos

Em maio de 2015, a SMT apresentou os resultados positivos do projeto-piloto em seminário internacional sobre logística urbana com a presença do Prefeito da cidade e do Secretário Municipal de Transportes.

O projeto foi bem-sucedido: não houve autuações por problemas de ruído, nem ocorrências de segurança. Dados de rastreamento dos caminhões de algumas das empresas aliados às informações obtidas nos acompanhamentos de rota (tanto diurnos quanto noturnos) permitiram verificar os ganhos potenciais de produtividade para a frota e, em alguns casos, para os estabelecimentos (lojas) envolvidos. Através de entrevistas com motoristas e funcionários das lojas envolvidas, foi possível verificar que os mesmos têm uma percepção mais positiva a entregas noturnas, inclusive no que tange à segurança, do que inicialmente esperado.

Nesse evento, o Prefeito reafirmou seu compromisso com a melhoria do transporte de carga na cidade: “pois ... eu considero o transporte de cargas um transporte coletivo, porque ele está cuidando de interesses coletivos. Um caminhão está abastecendo o comércio, a indústria, criando empregos. Se isso não estiver garantido, nós vamos ter uma crise de abastecimento ou encarecimento dos produtos, o que se reflete na qualidade de vida da cidade.” 

Entidades e empresas que participaram

Empresas participantes Ramo de atuação Fase do Piloto Tipo de lojas
Grupo Pão de Açúcar Supermercados Loja de rua
Drogaria São Paulo Farmácias 1ª e 2ª Loja de rua e Shopping Centers
Grupo O Boticário Higiene e beleza Loja de rua e Shopping Centers
Antilhas Embalagens Loja de rua e Shopping Centers
Lojas Americanas Loja de departamentos Shopping Centers
Lojas Renner Vestuário Shopping Centers
FEMSA Coca-Cola Bebidas Loja de rua
Telhanorte Material de construção Home Center
Sonda Supermercados Supermercados Loja de rua
Droga Raia/Drogasil Farmácias Loja de rua
BFFC/Bob's Fast food Shopping Centers

 

 

CET PMSP-MobTrans

Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes

Rua Barão de Itapetininga, 18 - Centro

São Paulo, SP - CEP 01042-000

Prefeitura de São Paulo - Viaduto do Chá, 15 - Centro - São Paulo, SP - CEP 01002-020